quarta-feira, maio 31, 2017

Mercedes-Benz revela primeira imagem do AMG Project One e revela detalhes do hiperesportivo


A Mercedes-Benz revelou os primeiros detalhes do AMG Project One, que deve ser lançado nos próximos meses. O coupé hiperesportivo, que deve faer o uso do mesmo motor da equipe de Fórmula 1 deve ter todas as suas unidades produzidas até 2020. Limitado a 275 unidades e cada unidade será vendida pela bagatela de US$2,5 milhões. Nas imagens, a Mercedes revela que ele deve usar o 1.6 V6 Biturbo Hybrid, que traz uma eficiência energética de 43%. Logo abaixo dos bancos, o hiperesportivo deve trazer as suas duas baterias de íons de lítio. Elas pesam 100kg e fornecem energia tanto aos motores dianteiros, elétricos e providos de transmissões individuais, quanto aos usados no trem de força híbrido. O primeiro de 163cv, vai acoplado diretamente ao virabrequim do motor V6. O outro, de 109cv, serve para manter os turbocompressores sempre de prontidão. Usando apenas baterias, o AMG Project One terá autonomia de apenas 24km. Além disso um scoop gigante deve ser o responsável pelo refrigeramento do motor e deve ser dividido em duas metades. O câmbio será de 8 velocidades e ficará logo atrás do conjunto híbrido, com embreagem simples, com escapamento com saída única e de alto calibre, impressiona, assim como os pneus traseiros de 335 mm de largura. Os freios serão carbocerâmicos. Com limite de giro de 11.000rpm, o conjunto motriz do Mercedes-AMG Project One produzirá de forma combinada nada menos que 1.034cv de potência. Aceleração de 0 a 100km/h e velocidade máxima são segredos guardados a sete chaves, mas sabe-se que terá um desempenho bem empolgante. Porém surgiu a notícia que a Mercedes deve colocar um motor um tanto quando delicado, que deve ter vida útil de apenas 50.000km. Depois disso, deve ser inteiramente reconstruído ou substituído por um novo. Apesar dessa limitação, os números são impressionantes: mais de 1.000cv de potência e capacidade para superar as 11.000rpm - praticamente igual a um carro de F1.






Nenhum comentário:

Postar um comentário