domingo, abril 30, 2017

CAuto #63: ao Salão de Xangai tudo, ao Salão de Nova Iorque (quase) nadinha


Com dois grandes eventos mundiais ocorrendo quase que ao mesmo tempo na última semana, o Salão do Automóvel de Xangai na China e o Salão do Automóvel de Nova York nos Estados Unidos começou a mostrar um maior interesse pelo mercado chinês. Tanto que o Salão de Xangai começou a trazer novidades bem mais interessantes que o Salão de Nova York. Apesar de trazer um leque de novidades internacionais menor que o evento norte-americano, Xangai trouxe novidades mais relevantes. Vamos aos fatos: enquanto Xangai foi palco de nova geração do Haval H6, Nio EVE Concept, nova geração do Chery Tiggo5, Buick Velite5, BMW Série 5 Li, JAC S7, Citroën C5 AirCross, Audi e-tron Sportback Concept, Mercedes-Benz A Sedan Concept, MG E-Motion Concept, Citroën C5, Singulato iS6, Toyota Fun Sedan Concept, Lynk&Co 03 Sedan Concept, Nio ES8, Volkswagen ID Crozz Concept, Chery Tiggo Coupé Concept, Qoros Model K-EV Concept, Skoda Vision E Concept, novo Mercedes-Benz Classe S, BMW M4 CS, Jeep Yuntu Concept, Chevrolet FNR-X Concept, novo Lexus NX, Honda CR-V Hybrid, entre outros; o Salão de Nova York trouxe o face-lift da Toyota Sienna, Nissan GT-R Track Edition, Nissan 370Z Heritage Edition, Buick Regal Sportback, Buick Regal TourX, Infiniti QX80 Monograph Concept, Mercedes-Benz GLC AMG e GLC AMG Coupé, Honda Civic Si, Mitsubishi ASX 2018, Lexus LS 500 F-Sport, Audi R8 Audi Sport Edition, Chevrolet Corvette Carbon 65 Edition, Toyota FT-4X Concept, Cadillac CT6 Hybrid, Honda Clarity Hybrid e Electric, Jeep Grand Cherokee Trackhawk, Dodge Challenger SRT Demon, novo Hyundai Sonata, novo Acura TLX, novo Buick Enclave, Genesis GV80 Concept, Subaru Ascent Concept, novo Lincoln Navigator, novo Kia Rio Sedan, Jaguar F-Type 2.0 Turbo, entre outros. Nota-se, que o Salão de NY teve muitas séries especiais que aumentam a quantidade de novidades, mas os modelos mais interessantes estavam em Xangai. Isso pode nos dizer uma coisa: apesar do bom momento, o mercado dos EUA não é mais tão interessante como o chinês, que revelou que quer chegar a 35 milhões de unidades vendidas por ano no futuro breve. Além disso, o Salão de Xangai cresceu muito rapidamente nos últimos anos a nível global. É, parece que a China se tornou definitivamente o foco de todas as marcas. Mas o que nós temos a ver com isso? Não muita coisa a não ser esperar pelos lançamentos que vem desses dois eventos, mas vale destacar que a China é um país do BRIC e uma potência global no setor. Vale a reflexão do que estamos fazendo com o nosso mercado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário