Subaru convoca recall do Forester 2.5 Turbo no Brasil com defeito na bomba de injeção do sistema de emissões


A Subaru está convocando um recall que envolve o Forester 2.5 Turbo produzidos entre 7 de Janeiro de 2011 a 21 de Março de 2012 com defeito na bomba de injeção de ar secundário do sistema de emissões. Segundo a Subaru, "por conta de uma falha, que ocorre quando os contatos móveis do relê de controle da bomba de injeção de ar secundário do sistema de emissões se fundem. Neste caso, há possibilidade da bomba de injeção funcionar de forma contínua, podendo ser danificada por conta do superaquecimento e que, no caso de alguma irregularidade, a luz de advertência (Check Engine) se acenderá no painel. O defeito poderá causar cheiro ou fumaça, representando risco de incêndio e colocar em risco a segurança dos ocupantes do veículo e terceiros". Segundo a marca japonesa, o serviço já pode ser agendado em qualquer autorizada Subaru. Para maiores informações, s nipônica oferece o telefone 0800 (0800 770 2011) ou o site (www.subaru.com.br/recall-subaru). Confira abaixo o final dos chassis das unidades envolvidas.


Final dos Chassis

  • Subaru Forester - BG215141 a CG298583

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nova geração do Subaru XV Crosstrek chega com duas versões ao Brasil e parte de R$114.900

MINI lança o reestilizado Cooper no Brasil, com preço inicial de R$119.990

Alfa Romeo vê potencial de vender 10 mil unidades no Brasil e analisa retorno ao país

Depois de dois anos ausente, SsangYong Korando volta reestilizado por R$129.900

Sem novidades, BMW apresenta a linha 2019 do M140i com preço maior, por R$269.950

SsangYong lança Tivoli e Tivoli XLV no Brasil com preços que começam em R$84.900

Chevrolet revela dois teaser da Spin reestilizada, que será lançada dia 04 de julho

TAC Stark retorna ao mercado renovado e com mais investimentos por R$115.000

Chevrolet Spin reestilizada é flagrada sem nenhuma camuflagem por sites argentinos

RAM 1000 ganha sinal verde para produção e deve ser lançada globalmente até 2022