sábado, novembro 26, 2016

Volkswagen Jetta volta a ser 100% mexicano por tempo limitado, enquanto produção de bancos não é normalizada


Nacionalizado em Julho de 2015, o Volkswagen Jetta teve sua produção em Anchieta (SP) interrompida nos últimos dias e passa a ser 100% mexicano novamento. O sedã médio alemão era produzido apenas na versão intermediária Comfortline na fábrica, segundo a Volkswagen a de maior participação no mercado. Enquanto isso, na fábrica de Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), a Volkswagen optou por aumentar a linha de montagem de bancos para outros automóveis da marca, em processo de substituição do antigo fornecedor, o grupo Prevente. Além disso, a Volkswagen do Brasil prepara a fábrica da Anchieta para a produção de seus quatro novos lançamentos baseados na plataforma MQB, as novas gerações de Gol, Voyage e Saveiro, e o SUV compacto derivado do Gol, que chegam ao mercado a partir de 2018. Estes modelos são bem mais rentáveis que o Jetta, que passa a ter nacionalidade 100% mexicana, pelo menos por enquanto. A nova geração do sedã deve vir com plataforma MQB e as chances de sua produção passarem para São José dos Pinhais (PR) é grande, junto ao irmão Golf com quem deve compartilhar alguns componentes. Ainda não se sabe se a Volkswagen deve voltar a produzir o Jetta na fábrica de Anchieta assim que a produção de bancos for normalizada. O sedã continua sendo vendido no Brasil nas versões Trendline (R$83.876 para o câmbio manual e R$89.400 para o câmbio automático), Comfortline (R$96.152) e Highline (R$111.558).


Fonte: CAR.BLOG

Nenhum comentário:

Postar um comentário