quinta-feira, novembro 23, 2017

Toyota apresenta a Hilux reestilizada na Tailândia, com uma nova dianteira e nova versão topo de linha


A Toyota apresentou na Tailândia o face-lift da Hilux. Apresentada no início de 2015 no país e no final do mesmo ano na América do Sul, a picape média deve completar três anos de mercado em 2018 com as mudanças visuais antecipadas pelas imagens da Toyota Tailândia. A mudança trouxe um design mais esportivo e servirá para deixá-la mais atualizada diante da concorrência. As novidades seguem a linha que vem sendo aplicada nos novos utilitários da marca e se concentram na dianteira. A versão Rocco é novidade para o mercado tailandês, como nova versão topo de linha. Entre as novidades a picape média traz elementos mais retangulares remete diretamente aos SUVs da linha Land Cruiser, além da norte-americana Tacoma. No geral, a peça perdeu os filetes horizontais cromados inspirados no Corolla pré-facelift e passou a gerar maior sensação de robustez. O para-choque dianteiro ainda traz novos faróis de neblina, com vincos revisados e maior entrada de ar. Sem modificações, as laterais seguem com as mesmas rodas, bem como que a traseira não recebeu nenhuma modificação, bem como o interior. Destaque desse face-lift, a versão Rocco conta com design único ao trazer santo-antônio integrado à caçamba, rodas aro 18" com novo desenho, retrovisores e maçanetas pintados em preto brilhante, molduras plásticas nas caixas-de-roda e adesivos alusivos nas laterais. Por aqui, as novidades devem ser apresentadas em 2018.




Volkswagen deve sortear uma unidade do Polo para clientes que fazem pós-venda em concessionárias


A Volkswagen está lançando a promoção "Oficina de Prêmios", que deve sortear uma unidade do Polo. Segundo a VW, a cada R$600 em serviços realizados na mesma data nas concessionárias da marca, o cliente deve receber um cupom com duas chances de ganhar. No cupom, o cliente deve encontrar prêmios instantâneos e ainda deve ter um código para cadastrar no site (www.oficinadepremios.com.br) e concorrer a uma unidade do Polo. A campanha vale até 10 de fevereiro de 2018 e o sorteio deve acontecer no dia 21 de fevereiro, tendo o ganhador seu nome divulgado no site da promoção. A Volkswagen esclarece que a promoção é válida apenas para pessoa física e para serviços realizados na oficina, tais como: revisão, funilaria e pintura, instalação de acessórios, troca de óleo, pneus, pastilhas, discos, embreagem, entre outros. As notas fiscais podem ser cumulativas se tiverem a mesma data de emissão, caso contrário as notas abaixo do valor de R$600 devem ser descartadas. “A promoção ‘Oficina de Prêmios’ tem como objetivo incentivar a fidelização do consumidor nas oficinas da Rede  Volkswagen e assegurar a realização das manutenções periódicas e serviços utilizando Peças Originais da marca”, disse o Head de Pós-Vendas da Volkswagen do Brasil, Daniel Morroni.


Agora da CAOA, Chery Brasil tem planos ambiciosos até 2019 e planeja chegar a 5% do mercado


Depois de ser comprada pela CAOA, a operação brasileira da Chery deve viver um grande investimento nos próximos cinco anos. A compra, anunciada no último dia 11 por US$60 milhões, deve colocar a Chery entre as marcas com futuro promissor caso os investimentos se confirmem. A meta é investir US$2 bilhões (quase R$7 bilhões) nos próximos cinco anos, com recursos próprios. Segundo o presidente executivo do grupo, Mauro Correia, a Chery deve capturar cerca de 5% de mercado, meta realmente ambiciosa quando vemos que essa porcentagem é próxima a de que Jeep e Nissan possuem no mercado. A Chery-CAOA deve trazer modelos que a Chery decidiu atrasar o lançamento de alguns modelos por causa dos números negativos. Com o contrato entre CAOA e Hyundai chegando ao fim, a CAOA deve focar totalmente na Chery, sua nova responsabilidade. Em 2018 deve ter o Tiggo2 estreando a lista de lançamentos e logo em seguida começa a ser vendido o Tiggo2 CVT. Além dele, o Arrizo5 deve ser a próxima aposta da marca, possivelmente no segundo semestre de 2018, mesma época que deve começar a ser vendido o Tiggo7 no mercado. Em estudo ainda estão Arrizo7 e Tiggo5, que ficariam para 2019.


Terceira geração do Hyundai Tucson comemora um ano de lançamento no mercado brasileiro


A nova geração do Hyundai Tucson comemorou um ano de mercado brasileiro. O SUV médio chegou ao nosso mercado com quase dois anos de atraso, mas já chegou nacionalizado na planta de Anápolis (GO), de onde produz (ia) a primeira e a segunda geração do Tucson, conhecidos como "Old" Tucson e ix35. A terceira geração chegou ao Brasil com design de chamar atenção, com a nova filosofia de design da Hyundai, que traz um design mais limpo e com toques de europeu. A nova geração mantém a mesma plataforma do ix35 atual, mas teve seu visual totalmente repaginado, com traços que lembram os novos Genesis e Sonata e do irmão maior SantaFe. Destaque da dianteiro é a grande grade hexagonal e os faróis alongados, além das entradas de ar e elementos ópticos como faróis de neblina e LEDs diurnos, que faz sua estréia no SUV. Na lateral, chama a atenção o vinco mais pronunciado que percorre o utilitário do início do fim da lateral, além das grandes rodas de liga leve. A traseira, já conhecida após o flagra, lembra e muito o novo i20, vendido na Europa. No geral o ix35/Tucson está bem mais bonito, mostrando a evolução no visual do modelo. O interior traz um visual mais moderno, também, porém mais sóbrio, sofisticado e elegante. Com melhor qualidade do interior, o destaque vai para a central multimídia, com cluster misturando itens digitais e analógicos. No Brasil ele é vendido nas versões GL, GLS e Limited. O motor é o moderno 1.6 Turbo que desenvolve 177cv de potência e torque de 27kgfm, acoplado ao câmbio automático de 7 velocidades de dupla embreagem. A aceleração de 0 a 100km/h é feita em 9,1 segundos. A construção do Tucson foi aprimorada em comparação com os demais SUVs fabricados em Goiás. Usando técnicas de solda modernas, tem uma melhor resistência estrutural que a antiga geração (ix35). Em seu primeiro ano cheio no mercado, a Hyundai emplacou mais de 4 mil unidades do Tucson no mercado, número suficiente para colocá-lo em terceiro do segmento, atrás apenas do Jeep Compass e do irmão ix35.


segunda-feira, novembro 20, 2017

Jaguar apresenta a linha 2018 do XE com os motores Ingenium e menos versões por R$225.500


A Jaguar está apresentando a linha 2018 do sedã XE no mercado nacional com mudança no lineup e novos motores Ingenium. O sedã perdeu as versões de entrada, Pure e Pure Tech, e passa a ser vendido apenas nas versões R-Design e na S. Com essa mudança, a Jaguar passa a deixar de oferecer um sedã abaixo dos R$200 mil como acontecia nos últimos anos. Voltando ao XE, o sedã passa a ser vendido com motor 2.0 Turbo Ingenium e substitui o antigo conjunto FoMoCo GTDi, também conhecido como EcoBoost e era o mesmo conjunto que equipava o Ford Fusion. O novo motor desenvolve 250cv de potência (+10cv) e o torque sobe para 37,1kgfm (ante os 34,5kgfm do anterior), enquanto o câmbio continua o mesmo ZF8HP de 8 velocidades e a tração é traseira. Com esse novo motor, o XE acelera de 0 a 100km/h em 6,3 segundos e atinge a velocidade máxima de 250km/h. Já a versão S conta com motor 3.0 V6 Ingenium, mas que desenvolve 380cv de potência, ganho de 40cv em relação ao modelo anterior. O motor, nesse caso, ainda é o mesmo, mas veio mais potente. O torque é o mesmo, de 45,7kgfm, bem como o câmbio automático do 2.0. Mas, a alteração na cavalaria do conhecido V6 da Jaguar fez com que o tempo de aceleração de 0 a 100 km/h caísse de 5,1 segundos para exatos 5,0 segundos. A máxima continua limitada em 250 km/h. Nos itens de série, a novidade fica por conta da central multimídia InControl Touch Pro é opcional. Ela vem com tela de 10,2 polegadas, sistema de navegação por GPS e HD interno de 10 GB para músicas, vídeos e dados. Investimento de £1,5 bilhão e feito totalmente em alumínio, o propulsor Ingenium é um desenvolvimento próprio da Jaguar-Land Rover e promete mais eficiência e performance que o antigo motor da Ford.


Preços

  • Jaguar XE R-Design 2.0 Ingenium - R$225.500
  • Jaguar XE S 3.0 V6 - R$335.900

Primeira Quinzena de novembro de 2017: Volkswagen Polo entre os 20 e Fiat Argo no Top 10


A primeira quinzena de novembro de 2017 trouxe ainda mais novidades que os últimos meses. Voltando aos seus antigos patamares de vendas, o mercado brasileiro vendeu o total de 80.447 unidades, ritmo bastante similar à primeira quinzena de outubro, mesmo tendo dois feriados no meio de semana. Isso fez com que os primeiros quinze dias tivessem 8.939 unidades de média diária de vendas. Enquanto a briga pega fogo para permanecer entre os dez mais vendidos, o Chevrolet Onix é o mais tranquilo de todo o ranking com suas 7.591 unidades vendidas na primeira quinzena, o mais que o número vendido por Hyundai HB20 e Ford Ka, juntos. Em segundo, o Hyundai HB20 emplacou 3.878 unidades, enquanto o Ford Ka chegou a 2.814 unidades. Em quarto, o Toyota Corolla teve 2.558 unidades vendidas, seguido de perto pelo Fiat Mobi com 2.524 unidades e o Volkswagen Gol com 2.492 unidades em sexto. Em briga interna, Fiat Strada (7º) e Fiat Argo (8º) venderam respectivamente 2.365 e 2.362 unidades. Apenas em nono, o Chevrolet Prisma emplacou 2.344 unidades. Fechando os dez mais vendidos, o Jeep Compass ficou com 1.947 unidades. Interessante ver o Volkswagen Polo já entre os 20 mais vendidos, com 1.374 unidades vendidas na quinzena. Vale acompanhar o crescimento do VW frente aos rivais e compará-lo ao Argo, por exemplo. Em mês atípico, a linha Renault vendeu quase tudo perto. Líder, Sandero (33º, 825 unidades), Captur (34º, 810 unidades), Duster (36º, 789 unidades), Kwid (38º, 697 unidades), Logan (43º, 551 unidades) e Oroch (48º, 527 unidades).


Ranking
1º Chevrolet Onix - 7.591
2º Hyundai HB20 - 3.878
3º Ford Ka - 2.814
4º Toyota Corolla - 2.558
5º Fiat Mobi - 2.524
6º Volkswagen Gol - 2.492
7º Fiat Strada - 2.365
8º Fiat Argo - 2.362
9º Chevrolet Prisma - 2.344
10º Jeep Compass - 1.947
11º Hyundai Creta - 1.917
12º Fiat Toro - 1.877
13º Honda HR-V - 1.740
14º Volkswagen Saveiro - 1.597
15º Toyota Etios Hatch - 1.492
16º Hyundai HB20S - 1.461
17º Volkswagen Voyage - 1.450
18º Nissan Kicks - 1.450
19º Volkswagen Polo - 1.374
20º Jeep Renegade - 1.355
21º Toyota Hilux - 1.244
22º Ford EcoSport - 1.226
23º Toyota Etios Sedan - 1.173
24º Volkswagen Fox - 1.156
25º Ford Ka Sedan - 1.096
26º Volkswagen up! - 1.094
27º Honda Fit - 1.074
28º Chevrolet Cobalt - 1.045
29º Chevrolet Spin - 1.041
30º Chevrolet S10 - 980
31º Nissan Versa - 921
32º Fiat Grand Siena - 865
33º Renault Sandero - 825
34º Renault Captur - 810
35º Honda Civic - 806
36º Renault Duster - 789
37º Ford Ranger - 716
38º Renault Kwid - 697
39º Chevrolet Cruze - 693
40º Peugeot 208 - 663
41º Ford Fiesta Hatch - 648
42º Honda WR-V - 582
43º Renault Logan - 551
44º Peugeot 2008 - 548
45º Fiat Uno - 547
46º Citroën AirCross - 543
47º Honda City - 541
48º Renault Oroch - 527
49º Fiat Fiorino - 523
50º Chevrolet Montana - 478

Pré-venda do Ford Mustang começa em dezembro e lançamento está marcado para primeiro trimestre


Apresentado no Salão de Detroit deste ano, o reestilizado Mustang está chegando ao Brasil de forma oficial pela primeira vez. O pony car deve começar a ser vendido em regime de pré-venda em dezembro. Já cadastrando os interessados no site, os interessados terão acesso a informações sobre o modelo que começa a ser entregue apenas no primeiro trimestre de 2018, bem como seu lançamento oficial. O novo Mustang será vendido apenas na versão GT e até o momento apenas o Coupé está confirmado. Essa deve ser a primeira vez que o Mustang será vendido no Brasil em quase 100 anos da Ford no país. Até o momento as unidades que chegaram ao Brasil eram por importadores independentes. O Mustang 2018 recebeu mudanças no visual, novas tecnologias, melhorias no conjunto mecânico, suspensão MagneRide e um novo câmbio automático de 10 marchas como opcional. Entre as novidades visuais, o Mustang ganha faróis redesenhados de LED, piscas e faróis de neblina com novo formato e também em LED, grade reestilizada, para-choque com novas linhas, capô mais baixo e com novas entradas de ar, para-lamas dianteiros redesenhados, novas lanternas traseiras de LED e para-choque traseiro redesenhado, que integra as quatro saídas de escapamento do modelo GT. Por vir apenas na versão GT, o Mustang será equipado com motor 5.0 V8 de 450cv de potência acoplado ao moderno câmbio automático de 10 velocidades, que deve acelerar de 0 a 100km/h em 4 segundos.


CAOA compra ações colocas à venda pela Chery e promete investimento de US$2 bilhões em 5 anos


A Chery agora possui uma controladora no Brasil. E ela é bem conhecida nossa. Trata-se da CAOA, que também é responsável pelos Hyundai importados e Subaru no nosso mercado, além de ter algumas concessionárias Ford. Na joint-venture lançada na China, a marca passa a ter nome de empresa CAOA Chery no Brasil, mas claro que a marca oficialmente é Chery. O grupo brasileiro e a empresa chinesa devem trabalhar lado a lado para que a filial local do fabricante asiático finalmente comece a crescer. O negócio chegou a ter 18 meses de conversa entre ambas, mas agora a chinesa dá o controle da operação nacional para o grupo brasileiro após compra de 50,07% das ações por US$60 milhões. A parceria pretende dar um novo rumo para a Chery Brasil, que acumula prejuízos desde a inauguração da fábrica em Jacareí (SP). Produzindo apenas QQ e Celer na fábrica desde meados de 2015. A CAOA havia iniciado conversas com a Chery, inicialmente para assumir apenas a rede e a distribuição de veículos,  mas nesse acordo, a empresa assume também a produção. A promessa da empresa é utilizar também o excedente de capacidade da fábrica de Anápolis- GO para fabricar parte dos modelos da marca chinesa. Atualmente a planta do estado de Goiás produz modelos da Hyundai, apenas, mas pertence integralmente à CAOA. O grupo disse que deve utilizar de sua experiência no mercado para alavancar as vendas da Chery. Além disso, a CAOA anunciou também que focará em marketing para divulgar mais a marca e os novos produtos. A empresa não revelou o tamanho da rede que pretende ter com a Chery, mas estima-se que volte a casa das centenas. Com investimento novamente focado para 2018, será aplicado nos próximos cinco anos a cifra de US$2 bilhões em investimentos. A promessa é dar atenção especial do QQ, que emplaca de maneira razoável no mercado mesmo sem ter muita divulgação. Além dele, Tiggo2 e Tiggo7 devem ser as apostas de 2018. A Chery também quer um sedã e possivelmente teremos o Arrizo5. Em estudo estão o Tiggo5 e o Arrizo7.


Opel anuncia detalhes do plano estratégico e confirma estudo para vir ao Brasil depois de 2021


Se antes a PSA negava a vinda da Opel para o Brasil, agora a marca alemã é estudada para o nosso mercado. Fazendo parte do projeto de expandir mercados, a Opel deve entrar em 20 novos mercados já confirmados, mas não revelados. Outros dois ainda estão em estudo: Brasil e China. Com a sinergia com a PSA completa até 2024, a ideia do grupo era trazer a Opel em meados de 2022 ao Brasil. Segundo o CEO da Opel, Michael Lohscheller, a ideia é dobrar o número de vendas mundiais. Colocados como mercados de grande importância mundial, Brasil e China podem receber os automóveis Opel e a marca só deve chegar a esses mercados se a PSA considerar rentável o investimento. Atuando de forma indireta no Brasil com a Chevrolet, nós poderiamos ver novamente modelos como Corsa e Astra sendo vendidos como 0km. Hoje a atual geração do Astra se parece muito com o nosso Chevrolet Cruze, onde compartilham plataforma, motorização e alguns equipamentos. A ideia da PSA também é reduzir o número de gama de motores, diminuindo de 10 para 4 opções. Outras soluções previstas são a eletrificação da nova gama de veículos e o lançamento das novas gerações de alguns modelos até a renovação de toda a linha. Todas as novas gerações dos Opel devem usar plataforma CMP e EMP2, ou seja, todos os modelos atuais devem ser substituídos. O Corsa, cuja nova geração Lohscheller já anunciou para 2019, é a grande notícia para o Brasil. Aqui ele deve ser irmão de Citroën C3 e Peugeot 208, competindo ainda com Volkswagen Polo e Honda Fit.


Vídeo



Interior da nova geração do BMW Série 1 é flagrado e revela os primeiros detalhes e tecnologias


A nova geração do BMW Série 1 não deve demorar para ser apresentado. Rodando com carroceria definitiva já há algum tempo, o hatch médio premium deve ser apresentado em algum momento de 2018. Porém enquanto o modelo segue em testes, ele teve o seu interior flagrado pela primeira vez. Com forte camuflagem, o hatch deve beber da mesma fonte dos irmãos Série 7 e Série 5 no design interno. A central multimídia deve ficar mais próxima do motorista e deve ter mais polegadas. Parecendo um prolongamento do quadro de instrumentos, a central multimídia ainda deve trazer uma maior interação com celulares. As saídas do ar-condicionado retangulares devem ficar um pouco mais abaixo, enquanto a alavanca do câmbio possui novo design. A nova geração ainda terá um prolongamento do console central onde estão colocados os comandos do sistema iDrive, além disso, o freio de estacionamento passa a ser elétrico. O Série 1 deve manter a maioria dos motores de três e quatro cilindros com turbo, sendo eles a gasolina ou a diesel. Um modelo híbrido é dado como certo. A carroceria de três portas também deve ser deixada de lado nesta nova geração, depois das baixas vendas no continente europeu.


Fotos: PlanetCarsZ