CAuto #75: Volkswagen emplaca nome Polo em sua terceira tentativa no Brasil


O nome “Polo” é bastante conhecido do consumidor brasileiro. Assim como na Europa, ele ficou associado à imagem de um Golf mais compacto, com alguma semelhança no seu design e na sua segurança. Aqui, o nome voltou à cena em 2017 e em 2018 voltou a ter uma família com a chegada do seu sedã, que foi rebatizado de um simplório adjunto “Sedan” para ser conhecido como o independente Virtus. E apenas nessa terceira tentativa que a Volkswagen conseguiu emplacar o nome Polo no mercado brasileiro. Voltamos no tempo. Em dezembro de 1996, a Volkswagen lançava no Brasil o Polo Classic, um sedã que era importado da Argentina. O sedã chegava num momento onde a Volkswagen havia tirado de linha Voyage e Logus de linha. Tudo se encaminhava para substituir e representar os dois modelos no nosso mercado, mas o fato é que o Polo Classic nunca empolgou. Apesar de ser competitivo, modelos como Ford Escort Sedan (na época, mais potente) e alguns meses depois chegaria o Fiat Siena. Sua lista de itens de série e opcionais foram criticados na época. A mudança veio em 2000 e linha 2001, mas um tanto tarde. Saiu de cena em 2002 já com um substituto engatilhado. A nova geração da linha Polo chegava ao mercado nacional nas carrocerias hatch e sedã. A meta sempre foi ficar acima do Gol, como uma opção mais sofisticada. O início conseguiu vender bem, com média de 2.500 a 3.500 unidades mensais do hatch e sedã. Mas o preço do Polo no nosso mercado era muito alto. Entre os motivos estavam a sua consistente construção, quase igual ao do modelo europeu, que elevava seus custos de produção e consequentemente, seu preço. 


Não era o que consumidor queria, já que ainda estávamos na era do carro popular (e barato). Passou por mudanças em 2006 e 2014, nenhuma sem muito efeito. Saiu de cena no início de 2016. Até que chegamos ao passado presente. No final de 2016, falávamos de uma nova geração de Gol e Voyage, que seriam produzidas no Brasil dentro de alguns meses. O projeto do novo Polo seria chamado de Gol no nosso mercado, se não fosse as pesquisas de público e a Volkswagen, que julgara o nome “Gol” a um carro mais compacto e popular. A solução foi adotar novos nomes. Assim, o Polo voltou ao nosso mercado, como intermediário entre o Gol e o Golf (e criou-se uma confusão entre up!, Gol, Fox, Polo e Golf). E mesmo assim, acertou em cheio. O Polo chegou com uma moderna plataforma modular, motores modernos e itens de série interessantes para o consumidor atual, que já busca um carro mais seguro, espaçoso e equipado. Tanto, que a versão Highline se tornou um sucesso de vendas, seja pela lista de itens de série (e o quadro de instrumentos digital, que gerou filas de espera de 90 dias) como pelo motor 1.0 TSI, associado ao câmbio automático de 6 velocidades. Quando comparado aos seus principais rivais, o Polo se destaca como um novo ponto de referência do segmento de compactos, assim como o Hyundai HB20 se tornou em 2012. O sedã do Polo surgiu em janeiro de 2018 com o nome Virtus e também segue o mesmo caminho do hatch. Hoje, ambos conseguem vender juntos uma média entre 8 a 10 mil unidades mensais, números que o colocam à frente da dupla Gol/Voyage. Desde seu lançamento, em setembro do ano passado (vendas iniciadas no fim de outubro), o Polo já vendeu 43.670 unidades contra pouco mais de 17 mil unidades do Virtus, que começou a ser vendido oficialmente em fevereiro de 2018. Nesse ponto, a Volkswagen enfim acertou. Mas é preciso ter cuidado. A elevação dos preços da dupla pode fazer com que as vendas tendam a cair e ficar abaixo de uma patamar atual. Seria loucura tanta luta por um lugar ao sol ser desperdiçada.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Volkswagen confirma detalhes do seu novo compacto para substituir atuais Gol e up!

Nova geração do Volkswagen Jetta tem lançamento confirmado para setembro

Junto do Fiat Punto, Alfa Romeo MiTo também deixa de ser produzido na Itália

Tesla confirma inédito hatch elétrico para ser apresentado em meados de 2022

Segunda geração do Hyundai HB20 é flagrada definitivo em testes na Coreia do Sul

Agora como SUV, Ford Maverick deve ser produzido sobre plataforma do Focus

Chevrolet Cruze ganha versão LS na Argentina, com câmbio manual de 6 marchas

Toyota já começa a produzir a reestilizada Hilux na unidade de Zárate, Argentina

Porsche anuncia chegada da terceira geração do Cayenne por R$423.000

MINI estende promoção de Cooper 3 portas por R$99.990 e revela mais descontos