Audi planeja vender 800 mil elétricos até 2025 e deve investir 40 bilhões para isso


A Audi confirmou que até meados de 2025 pretende vender cerca de 800 mil unidades de carros elétricos e híbridos plug-in. A notícia foi revelada durante o encontro de acionistas da empresa, que revelou ainda as estratégias para viabilizar as vendas futuras, que incluem investimentos em segurança. Para crescer com os elétricos, a Audi acredita que precisa ter no mínimo, um carro em cada segmento. Até lá, a Audi acredita que os consumidores estarão mais pré-dispostos para comprar um carro elétrico e com os elétricos já vendendo mais que os híbridos. Até 2025, a Audi deve buscar novas fontes de receita, melhorar as estruturas de custos e acelerar a transformação corporativa em relação a novos modelos de negócios. No total, devem ser investidos um total de 40 bilhões de euros até 2025, tanto em mobilidade, direção autônoma e digitalização, são algumas das áreas que devem receber os incentivos, além da digitalização da produção. “Nosso objetivo é revolucionar a mobilidade. Também em mobilidade elétrica, queremos nos tornar o número um entre os fabricantes premium” diz Rupert Stadler, presidente do conselho de administração da Audi AG. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reestilizada, Chevrolet Spin é flagrada sem camuflagem, em cegonha, a caminho da Argentina

Depois de dois anos ausente, SsangYong Korando volta reestilizado por R$129.900

Ford confirma lançamento do Ka em julho com preço inicial de R$45.490, R$710 mais caro

Nova geração do Fiat Ducato já é vendido com descontos que chegam a R$21.307

Volvo inicia pré-venda da nova geração da V60, em versão única, por R$199.950

Jeep confirma SUV de 7 lugares e um SUV abaixo do Renegade para a América Latina

Fora do Brasil desde 2014, Volkswagen apresenta nova geração do Bora na China

Honda revela nova geração do Brio em agosto, durante o Salão do Automóvel da Indonésia

Jeep Renegade ganha teaser e estreia motores 1.0 e 1.3 Turbo na Europa

Fiat "acorda pra vida" e deve ter três SUVs no mercado brasileiro até 2022, segundo plano