Face-lift da Toyota RAV4 comemora um ano de mercado, mas estratégia não resistiu


A Toyota parece que mudou sua estratégia em relação ao RAV4 e não deu muito certo. Se a atual geração foi lançada no Brasil em 2013 e reestilizado em 2017, o SUV passou de R$125.900 para R$159.290 no face-lift. Além disso, ele passou a ser vendido apenas com o fraco motor 2.0 16v a gasolina e com tração 4x2. Não mudou nem um ano. No final de 2017, ele passou a ser vendido com versões mais simples, que fizeram seu preço cair para R$129.900. Há um ano, as novidades eram os novos faróis, grade, capô, para-choque dianteiro e traseiro, rodas de liga leve, lanternas e tampa do porta-malas. Além de mudar o visual, a Toyota adiciona três novas cores ao catálogo do RAV4: Prata Sky Metálica, Preto Currant Metálico e Azul Eletric Storm. No interior, as novidades ficam por conta do acabamento interno com mais qualidade, ficando mais caprichado. Os upgrades estão na nova manopla de câmbio e mais porta-objetos para guardar os óculos e porta-copos maiores, que comportam canecas grandes. Ainda entre as novidades internas, as rodas de liga leve aro 17 polegadas são novas também. Por dentro, o cluster agora tem display TFT para o computador de bordo e a multimídia foi atualizada. Esta é a Toyota Play em tela de 7’’ sensível ao toque, com interface de acesso à internet (Wi-Fi), áudio AM, FM, CD player e MP3, leitor de DVD, conexões USB, AUX e Bluetooth®, GPS, câmera de ré, seis alto-falantes e nova antena no teto. O SUV ainda é vendido com o fraco motor 2.0 16v a gasolina que desenvolve 145cv de potência com torque de 19,1kgfm e ligado ao câmbio automático CVT que simula sete velocidades no modo sequencial. A tração é 4x2 e segundo dados do InMetro, consegue fazer 9,5km/l na cidade e 10,9km/l na estrada. Com o preço alto, ele vendia cerca de 40 a 50 unidades e com a volta atrás da Toyota, passou a vender de 200 a 350 unidades mensais. Um erro que custou meses de mercado. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Volkswagen deve trazer Jetta GLi ao Brasil, com motor 2.0 TSI melhorado para 220cv

Volkswagen Golf reestilizado pode atrasar, de novo, e ficar para meados do segundo semestre

Volkswagen estuda expandir fábrica de São Bernardo do Campo (SP), que produz Polo e Virtus

Ford confirma retorno da Ranger XL, destinada especialmente para frotistas e produtores rurais

Ford Ranger Raptor custa 25% a mais que versão Wildtrak, antiga opção topo de linha

SWM apresenta o seu primeiro SUV, o GoOne, e é apresentado no estádio do Inter de Milão

Hyundai desenvolve a linha N-Line, que estreia primeiro no i30, como opção abaixo da N-Spec

Atual Suzuki Jimny sai de linha no exterior mas se mantém no Brasil por mais um tempo

Jeep descarta desenvolvimento de crossovers e reafirma suas capacidades para offroad

Jaguar diz que um futuro J-Pace é possível e dá a entender que SUV já está em desenvolvimento