Em reunião, Marchionne revela que metade da linha FCA deve ser elétrica e híbrida até 2022


A FCA parece que mudou rapidamente de lado. O grupo ítalo-americano revelou que metade de todos os modelos da marca serão elétricos ou híbridos em 2022. A confirmação veio direto de Sergio Marchionne, CEO da FCA. Em reunião convocada para discussão dos resultados financeiros da empresa, o chefão declarou que concentrará fortes atenções no segmento de veículos de motor alternativo. Até 2022, 50% dos modelos da Fiat, Jeep, Dodge, RAM, Chrysler, Ferrari, Maserati, Alfa Romeo e Lancia (se sobreviver até lá e se ganhar novos modelos) devem contar com motores elétricos ou híbridos. O plano deve ser mantido para todas as marcas, mas a Maserati será a vitrine da FCA. "Não temos mais dúvidas sobre a real importância e o crescimento dos elétricos", completou o executivo. Além disso confirmou que uma provável fusão entre Maserati e Alfa Romeo é provável, mas que no momento não falar sobre o assunto. Marchionne também confirmou que deve deixar o controle do grupo em 2019, que pode adiar sua aposentadoria caso "aconteça algo que que requeira minha continuidade".


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reestilizada, Chevrolet Spin é flagrada sem camuflagem, em cegonha, a caminho da Argentina

Depois de dois anos ausente, SsangYong Korando volta reestilizado por R$129.900

Ford confirma lançamento do Ka em julho com preço inicial de R$45.490, R$710 mais caro

Nova geração do Fiat Ducato já é vendido com descontos que chegam a R$21.307

Volvo inicia pré-venda da nova geração da V60, em versão única, por R$199.950

Jeep confirma SUV de 7 lugares e um SUV abaixo do Renegade para a América Latina

Fora do Brasil desde 2014, Volkswagen apresenta nova geração do Bora na China

Honda revela nova geração do Brio em agosto, durante o Salão do Automóvel da Indonésia

Jeep Renegade ganha teaser e estreia motores 1.0 e 1.3 Turbo na Europa

Fiat "acorda pra vida" e deve ter três SUVs no mercado brasileiro até 2022, segundo plano