sexta-feira, julho 14, 2017

Segundo site, Geely deve voltar a importar em 2018 e estuda fábrica no Brasil, revela Gandini


O executivo José Luiz Gandini, além de ser o presidente da Kia e da Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores), também era o presidente da Geely no Brasil. Em entrevista ao site BR.Motor1, Gandini revelou que a Geely não desistiu do Brasil e deve voltar a importar automóveis em 2018. A marca chinesa ainda estaria de olho até mesmo em uma possível fábrica no país, o que faria com que Gandini finalmente tivesse uma operação no país. "Não dá para descartar nenhuma possibilidade, mas não neste momento. Quando negociei a representação com a Geely, ela queria vir com fábrica e tudo para o Brasil, mas eu os aconselhei a não fazer isso. Primeiro eles têm de testar o mercado, ver como será a recepção a seus produtos", disse Gandini. Com a crise econômica e com as cotas de importação, a Geely acabou ficando refém de EC7 e GC2, que vinham do Uruguai e não conseguiram atrair tanta atenção do consumidor local. A marca continua operante no mercado, vivendo a base das últimas unidades em estoque e do pós-venda dos modelos atuais. Ainda sobre o comando de Gandini, a Geely volta ao mercado em 2018, com o encerramento do Inovar-Auto. "Com os novos produtos, a Geely teria grandes chances de sucesso no Brasil, mas vejamos o que 2018 nos reserva", falou o empresário. Atualmente os modelos mais interessantes da marca são a nova geração do EC7 e o utilitário esportivo BoYue, que integram a nova filosofia de design da marca chinesa.


Fonte: BR.Motor1

Nenhum comentário:

Postar um comentário