quinta-feira, junho 22, 2017

Tratada como face-lift pela Ford, a nova geração do Fiesta europeu vem ou não para o Brasil?


A Ford apresentou em 2016 a nova geração do Fiesta sobre a mesma plataforma do modelo vendido no Brasil, mas com uma distância de comprimento maior e uma carroceria que privilegia mais o espaço interno. Chamada de "B", a plataforma fez o hatch ficar com 4,05 metros de comprimento e manter os 2,49 metros de entre-eixos e 1,73 metro de largura. Como deve manter a mesma carroceria, a Ford poderia muito bem chamá-lo de "face-lift" para disfarçar a nova geração do modelo. Sabemos que o One Ford ainda é prioridade da marca norte-americana e que o hatch deve trazer vários novidades no segmento e deve ficar mais próximo do interior do EcoSport reestilizado e do Focus de quarta geração, pelos flagras que podemos identificar. Além disso, por se tratar de uma geração evolucionista, o hatch deve manter alguns detalhes da carroceria parecidas com o do modelo atual, o que nos deixa indecisos sobre a vinda do hatch ao nosso mercado. O modelo atual deve passar por algumas atualizações, como o motor 1.5 12v Dragon Flex, que deve ser lançado no segundo semestre de 2017 como linha 2018, usando o mesmo motor do EcoSport reestilizado. Além disso, o Fiesta deve receber a nova geração da central multimídia Sync em 2017 no Brasil. Esperado para nós em meados de 2018, a nova geração do Fiesta pode ficar para o primeiro trimestre de 2019 caso o projeto atrasar, acontecendo o mesmo erro de estratégia do modelo atual, quando demorou para ser lançado e logo em seguida foi reestilizado. Por fora, ele alivia um pouco os traços da atual geração e lembra bastante o Focus. A principal diferença para o Fiesta de hoje está na traseira, que passa a ter lanternas horizontais e que invadem a tampa do porta-malas. A carroceria está mais aerodinâmica, com frente mais baixa e teto alto, além de linhas mais arredondadas. As vigias das colunas C ficaram menores e mais elevadas, enquanto a linha de cintura parece mais baixa. Os faróis ficaram menores e mais arredondados, dotados de projetores de LED e LEDs diurnos, enquanto a grade ficou mais envolvente. O para-choque está completamente atualizado e apresenta novos faróis de neblina. As rodas de liga leve também foram redesenhadas. No interior, além do crescimento da qualidade e acabamento, com diversos itens vindos do Focus (como volante e quadro de instrumentos), além de resolver uma falha crônica do Fiesta: a nova geração agora tem uma central multimídia de verdade, com tela sensível ao toque de 8″ bem destacada no painel. A nova geração não deve trazer novos motores, mas sim um novo câmbio automático para substituir o PowerShift. Ele manterá os motores 1.5 Dragon e 1.0 EcoBoost.


Nenhum comentário:

Postar um comentário