terça-feira, junho 13, 2017

Citroën apresenta o C3 AirCross na França, que deve ser uma das estrelas do Salão de Frankfurt


Flagrado com pouquíssima camuflagem, foto de miniatura e eis que a Citroën enfim apresenta o C3 AirCross. Uma das estrelas do Salão do Automóvel de Frankfurt, em setembro, o C3 AirCross bebe da mesma fonte do C5 AirCross e da nova geração do C3 para mudar por completo. Substituto da C3 Picasso na Europa, o C3 AirCross (nome bastante conhecido no Brasil, não?) é construído sobre a plataforma PF1/A, preservando quase as mesmas medidas do conceito que o antecipou em 2016: 4,15 metros de comprimento, 2,60 metros de entre-eixos, 1,76 metro de largura (1,74m no conceito) e 1,64 metro de altura (1,63m no conceito). O porta-malas tem espaço para 410 litros mas pode chegar 520 litros sobre trilhos e a 1.289 litros com os bancos traseiros rebatidos. O design é idêntico ao que é aplicado no C3 ao trazer LEDs diurnos em separado do conjunto ótico, que fica logo abaixo e incorpora também faróis de neblina e repetidores de direção. Com capô curto, a frente é elevada, tendo ainda um aplique preto na base do protetor frontal, devidamente estilizado. Se destacam ainda as volumosas saias de roda que reforçam a ideia que o modelo é maior do que parece ser. No teto, as barras longitudinais exclusivas, bem como pintura em dois tons e vigias nas colunas C com frisos brancos nos vidros. O modelo tem teto solar elétrico com vidro panorâmico, bem como lanternas em LED compactas e para-choque traseiro bem proeminente e robusto.


As rodas de liga leve aros 16 ou 17 polegadas possuem um visual esportivo e completam o estilo do novo SUV compacto. No interior, destaque para o quadro de instrumentos analógico e uma grande central multimídia no meio do console do painel. Em formas horizontais, o C3 AirCross usa saídas de ar retangulares verticais e nas extremidades do conjunto. Na Europa ele deve ser vendido com os motores 1.2 PureTech Turbo que desenvolve 82cv, 110cv e 130cv de potência, acoplado ao câmbio manual de 5 marchas e automático de 6 velocidades. Com 130cv o câmbio manual passa a ser de 6 marchas. Há ainda o 1.6 BlueHDi que desenvolve 90cv, 100cv e 120cv, acoplado apenas ao câmbio manual de 5 ou 6 marchas. A Citroën ainda aposta na personalização do AirCross: oito cores para a carroceria, quatro para o teto e quatro esquemas de cores, o que permite até 90 combinações. Entre os principais itens de série deve trazer head-up display, câmera de ré e sistema de entrada e partida sem chave. De auxílio efetivo à condução, o C3 AirCross tem aviso de ponto cego, de mudança de faixa, frenagem de emergência automática, Hill Descent, alerta de descanso, monitor de atenção, faróis com facho inteligente, sistema de reconhecimento de velocidade máxima e o Park Assist, que ajuda o motorista a estacionar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário