sexta-feira, abril 21, 2017

Mercedes-Benz começa a testar conjunto motriz do projeto da AMG, o Project One, com 1.000cv


A Mercedes-Benz já começa a testar o motor do monstruoso Project One, o hiperesportivo da marca que deve usar motor 1.6 V6 Turbo de Fórmula 1 com pequenas modificações. O modelo vem sendo testado em circuitos de corrida e áreas de teste da empresa onde especialistas avaliam o comportamento do conjunto híbrido. A informação foi repassada por Tobias Moers, chefe de desenvolvimento da Mercedes-AMG. De acordo com o executivo, o trabalho de engenharia do novo motor está sendo realizado pela própria equipe de Fórmula 1 da Mercedes-Benz no Reino Unido, visto que o aparato mecânico do novo Project One será derivado dos carros de corrida. “Teremos quatro motores elétricos, sendo dois para as rodas dianteiras, um no virabrequim e outro no turbocompressor do propulsor. Usaremos as mesmas baterias dos carros F1, que têm vantagens e limitações. Mas ainda seremos capazes de fornecer uma autonomia de 30 km no modo elétrico”, disse Moers. O carro deve custar mais de US$3 milhões e desenvolve o coupé junto com a aniversariante AMG, que completa 50 anos e ganha a versão de produção para comemorar o meio século. Porém surgiu a notícia que a Mercedes deve colocar um motor um tanto quando delicado, que deve ter vida útil de apenas 50.000km. Depois disso, deve ser inteiramente reconstruído ou substituído por um novo. Apesar dessa limitação, os números são impressionantes: mais de 1.000cv de potência e capacidade para superar as 11.000rpm - praticamente igual a um carro de F1. Fazem parte do conjunto também dois motores elétricos e uma transmissão automatizada de embreagem simples - um sistema duplo ficaria pesado demais, explicou Tobias Moers.


Nenhum comentário:

Postar um comentário