sábado, março 25, 2017

Seat quer fábrica no México para vender na América do Norte, Central e do Sul depois de 2020


Apesar da crise instaurada na maioria dos países da América do Sul, algumas parecem que querem entrar nesse mercado um pouco mais forte. A Seat, vendida em alguns mercados, pretende erguer uma fábrica no México para vender seus automóveis na América do Sul. Representando lucros pela primeira vez desde 2007 em 2016, a Seat deve expandir mercado para ter uma situação melhor. A espanhola deve investir pesado na América, podendo erguer uma fábrica no México que possa abastecer tanto a América do Norte, como a Central e do Sul. Os investimentos devem começar a aparecer no início da próxima década, em um movimento de menor exposição na Europa. Comprada pela Volkswagen desde 1986, cerca de 90% das vendas da marca hoje respondem apenas pelo mercado europeu, o que é demais para um mundo globalizado. Depois de quase uma década de perdas, em 2016 a Seat deu um lucro operacional de 153 milhões de euros graças ao sucesso do Ateca, seu primeiro utilitário esportivo. Além disso, a nova geração do Ibiza e mais dois utilitários esportivos devem fazer com que a marca cresça no mundo todo. A Seat não revelou quais mercados tem interesse, mas certamente Estados Unidos, Canadá, México, Brasil e Argentina são os mercados de maior foco para a empresa. No Brasil, caso a Seat retorne ao nosso mercado, ela deve se destacar pelo design mais esportivo, que deve chamar atenção dos consumidores. Vale destacar que a empresa espanhola já esteve no nosso mercado entre 1995 a 2002 e desde então nunca mais retornou. Pode ser, quem sabe, a chance para retomar a atividade no país. Atualmente, Ibiza, Leon e Ateca seriam modelos interessantes para o Brasil.




Fonte: Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário