Honda do Brasil deve desenvolver uma plataforma de automóveis compactos para países emergentes


Parece que depois do WR-V, a Honda do Brasil deve ganhar mais destaque no exterior. Segundo o jornal indiano The Economic Times, os engenheiros do Brasil em conjunto com as filiais da Índia, Tailândia e Japão devem desenvolver uma nova plataforma voltada para mercados emergentes. Detalhes sobre a base ainda são limitados, mas já é praticamente certo que servirá a pelo menos três modelos diferentes: um hatchback, um sedã e um SUV. Tudo indica que serão carros de porte compacto, dada a deficiência da Honda neste segmento na Índia. Diretor de operações da marca, Noriake Abe disse que a plataforma ficará pronta dentro de 3 ou 4 anos e que chegará a países da região Ásia-Pacífico e América do Sul (incluindo o Brasil, principalmente). Isso pode indicar o enfim compacto da Honda, que deve concorrer com demais modelos de marcas já conhecidas e terá a chance de inaugurar a fábrica de Itirapina (SP). Os compactos porém devem demorar para chegar ao nosso mercado. Estima-se que eles estejam prontos apenas em meados de 2022 ou 2023, chegando ao Brasil um ano depois.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BMW lança oficialmente a nova geração do X3, em duas versões, e parte de R$309.950

Marco do seu renascimento, Chery lança Tiggo2 no Brasil por R$59.990 iniciais

Ford Fusion deve ser reestilizado ainda em 2018 no Brasil e gama de motores vira questionamento

Citroën lança reestilizado C4 Lounge por R$93.920 iniciais, que recebe upgrade e downgrade

Porsche revela as primeiras imagens do Cayenne Hybrid, em testes finais na África do Sul

Nissan confirma desenvolver March emergente, com a mesma plataforma V do Kicks

Maserati apresenta o Levante Trofeo no Salão de Nova York, com motor V8 de 598cv

Peugeot lança o 5008 no mercado brasileiro em duas versões e preços que começam em R$157.490

Depois de tanta espera, Ford lança oficialmente o Mustang GT no Brasil por R$299.990

FCA inicia reparo da RAM 2500, que envolve 3.527 unidades desde 2014 com defeito no câmbio