quarta-feira, janeiro 11, 2017

Volkswagen apresenta ID Buzz Concept no Salão do Automóvel de Detroit, a Kombi do Século XXI


O último país a dar adeus a Kombi foi o Brasil, no final de 2013. A lendária van parece que pode estar retornando ao mercado em uma nova geração. É o que a ID Buzz Concept mostra durante o Salão do Automóvel de Detroit. Sem o risco de matar os condutores por falta de ABS e Airbag, a ID Buzz Concept representa a Kombi do Século XXI. Ela conta com motor elétrico e traz muitos itens de segurança e tecnologia. Seu nome é uma brincadeira com duas coisas: Buzz se lê exatamente como Bus, que era o nome da Kombi nos EUA. E Buzz faz referência ao ruído dos motores elétricos, mas também ao burburinho que o conceito deve causar no salão americano. Construída sobre a plataforma de automóveis elétricos MEB, o conceito mede 4,94 metros de comprimento, 3,30 metros de entre-eixos, 1,98 metro de largura e 1,96 metro de altura. Destaque do seu potencial de chamar atenção são as grandes rodas de liga leve com aro de 22 polegadas, a capacidade de transportar oito ocupantes e dois compartimentos de carga. O tradicional porta-malas na traseira comporta 660 litros de carga e pode ser ampliado para 4.600 litros com os bancos rebatidos, enquanto o porta-malas dianteiro oferece mais 173 litros. Como tem um motor elétrico, a ID Buzz Concept possui bateria de 111kWh, que lhe oferece uma bateria de 600km. Com esse motor ela desenvolve 374cv de potência e só o eixo traseiro entrega 272cv com um pacote de baterias de 83kWh. Ela acelera de 0 a 100km/h em 5 segundos e atinge a velocidade máxima de 160km/h. Graças ao carregador padronizado CCS, o ID Buzz recupera 80% da sua bateria em uma carga de 30 minutos. A ID Buzz Concept também faz promessas, como a da condução autônoma. A da VW é chamada de I.D. Pilot e vem sendo prometida para 2025. Quando ela é acionada, o conceito retrai o volante para o painel e permite que o banco do motorista vire em 180º. Com um volante sem aros, ele concentra todos os comandos como setas, os modos de direção (câmbio automático com as letras P, R, N e D) e head-up display. No modo autônomo, os radares de teto se elevam e a Kombi moderna se comporta como se fosse um ser vivo: “olha” para os cantos para onde virar, para a frente e para pedestres e ciclistas, para alertar que os detectou. O conceito não faz uso de retrovisores e sim câmeras e reconhece passageiros com o User ID, aplicativo de celular que armazena as preferências de cada ocupante. Certamente uma versão de produção não seria loucura.



Nenhum comentário:

Postar um comentário