Nissan suspende o desenvolvimento de automóveis de luxo feito em parceria com a Daimler


Segundo a Reuters, a Nissan suspendeu o desenvolvimento de automóveis de luxo em parceria com a Daimler, controladora de Mercedes-Benz e Smart. O motivo teria sido o baixo desempenho comercial dos modelos com plataforma MFA dentro da Infiniti. Atualmente os automóveis Q30 (fotos) e QX30 contam com a mesma plataforma de Classe A, Classe B, CLA e GLA, da Mercedes-Benz. O desenvolvimento paralisado seria da MFA2, uma evolução da base atual que foi financiada também pela Nissan. Em Outubro, a montadora japonesa havia anunciado que não usaria essa nova plataforma na Infiniti, mas agora parece que ela não estará disponível nem sob modelos da Nissan. Segundo fontes internas da Nissan, as metas de vendas da Infiniti para obter lucros com a plataforma MFA2 seriam impossíveis de ser atingidos. Assim é impossível manter o projeto adiante, ainda mais em comparação com a fábrica conjunta em Aguascalientes no México, onde a Daimler deve produzir automóveis de tração dianteira. Com a queda na demanda de carros compactos nos EUA, produzir e vender modelos menores por lá será bem difícil.


Fonte: Reuters

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nova geração do Subaru XV Crosstrek chega com duas versões ao Brasil e parte de R$114.900

MINI lança o reestilizado Cooper no Brasil, com preço inicial de R$119.990

Alfa Romeo vê potencial de vender 10 mil unidades no Brasil e analisa retorno ao país

Depois de dois anos ausente, SsangYong Korando volta reestilizado por R$129.900

Sem novidades, BMW apresenta a linha 2019 do M140i com preço maior, por R$269.950

SsangYong lança Tivoli e Tivoli XLV no Brasil com preços que começam em R$84.900

Chevrolet revela dois teaser da Spin reestilizada, que será lançada dia 04 de julho

TAC Stark retorna ao mercado renovado e com mais investimentos por R$115.000

Chevrolet Spin reestilizada é flagrada sem nenhuma camuflagem por sites argentinos

RAM 1000 ganha sinal verde para produção e deve ser lançada globalmente até 2022