Faraday Future apresenta o FF91 no CES 2017, que entrega 1.065cv de potência com quatro motores elétricos


Tem marca novata querendo chamar atenção do mundo. Apresentada no CES 2017, a Faraday Future apresenta enfim o seu primeiro automóvel elétrico, o FF91. O automóvel que pelo seu design pode até parecer pacato, conta com quatro motores elétricos que desenvolvem 1.065cv de potência com torque de 183,6kgfm, que acelera de 0 a 100km/h em 2,4 segundos e atinge a autonomia de 700km. Parece que o FF91 chegou em um bom momento para levantar a moral da Faraday Future, que sofreu com notícias ruins, com saídas de executivos, de acusação de falta de dinheiro para erguer sua fábrica em Nevada, que gerou a descrença do público e da imprensa. O 91 conta com 5,25 metros de comprimento com 2,28 metros de largura (contando os retrovisores), 1,60 metro de altura e 3,20 metros de entre-eixos. Ele conta com a plataforma VPA (Variable Platform Achitecture) que varia o tamanho dependendo do pacote de baterias que carrega em sua base. A bateria do FF91 é de 130kWh e rende 700km de autonomia, oferecendo maior potência e alcance que a bateria de 100kWh da Tesla. A Faraday Future diz que a capacidade de recarga deste pacote é de 500 milhas por hora, ou algo como 805km de autonomia em apenas uma hora na tomada, obviamente em um carregador rápido, com capacidade de 200kW. A recarga completa, portanto, levaria menos de uma hora, considerando a autonomia máxima de 700km. O problema é que não há muitos carregadores tão fortes. Os Superchargers, da Tesla, entregam 120kW.


A empresa terá de investir na construção destes supercarregadores. Enquanto eles não surgem, ela diz que, em uma tomada de 240V, o carro pode recuperar 50% de sua carga em 4,5 horas. No seu design, o 91 é uma mistura de crossover com espaço de minivan, tendo frente curta e dotada de projetores de LED para os fachos dos faróis, faróis de neblina, luzes diurnas e repetidores de direção. No diminuto capô, um sensor laser LIDAR do sistema de condução autônoma se eleva quando nesse perfil de direção. As colunas A são avançadas, enquanto as D são largas e bem inclinadas. Chama atenção o pequeno tamanho das portas traseiras, visto que os passageiros traseiros se sentam mais recuados, lembrando em parte o conceito da Lucid Motors. Na traseira, as lanternas de LED – assim como o conjunto ótico frontal – formam uma única peça. A Faraday ainda informa que o 91 conta com 13 radares para sua condução autônoma, bem como 10 câmeras de alta resolução, 12 sensores ultrassônicos e um radar laser LIDAR, no capô. O automóvel conta ainda com o sistema Driveless Valet, que faz com que o carro procure uma vaga sozinho ao apertar um botão, assim como sair da vaga sozinho e ir até onde o motorista está. A marca informa que deve produzir primeiramente cerca de 300 unidades, todas com preços a US$180.000 (estimados), com pré-venda dando sinal de US$5.000. A série especial de início de produção será chamada de Alliance Edition e a produção começa em 2018. A Faraday ainda confirmou que parte dos lucros devem ser doados para um fundo ambiental dos EUA.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nova geração do Subaru XV Crosstrek chega com duas versões ao Brasil e parte de R$114.900

RAM 1000 ganha sinal verde para produção e deve ser lançada globalmente até 2022

Chevrolet estuda um novo utilitário esportivo para o Brasil e Suburban era uma das opções

Volkswagen entra para o mundo VUC com Delivery Express por R$118 mil iniciais

Alfa Romeo vê potencial de vender 10 mil unidades no Brasil e analisa retorno ao país

Sem novidades, BMW apresenta a linha 2019 do M140i com preço maior, por R$269.950

TOP 100: Volkswagen Tiguan volta ao ranking com nova geração e Suzuki Vitara cai

CAuto #75: Volkswagen emplaca nome Polo em sua terceira tentativa no Brasil

Toyota apresenta o Yaris Hatch no Brasil com preços que começam em R$59.590

MINI lança o reestilizado Cooper no Brasil, com preço inicial de R$119.990