quarta-feira, janeiro 04, 2017

Faraday Future apresenta o FF91 no CES 2017, que entrega 1.065cv de potência com quatro motores elétricos


Tem marca novata querendo chamar atenção do mundo. Apresentada no CES 2017, a Faraday Future apresenta enfim o seu primeiro automóvel elétrico, o FF91. O automóvel que pelo seu design pode até parecer pacato, conta com quatro motores elétricos que desenvolvem 1.065cv de potência com torque de 183,6kgfm, que acelera de 0 a 100km/h em 2,4 segundos e atinge a autonomia de 700km. Parece que o FF91 chegou em um bom momento para levantar a moral da Faraday Future, que sofreu com notícias ruins, com saídas de executivos, de acusação de falta de dinheiro para erguer sua fábrica em Nevada, que gerou a descrença do público e da imprensa. O 91 conta com 5,25 metros de comprimento com 2,28 metros de largura (contando os retrovisores), 1,60 metro de altura e 3,20 metros de entre-eixos. Ele conta com a plataforma VPA (Variable Platform Achitecture) que varia o tamanho dependendo do pacote de baterias que carrega em sua base. A bateria do FF91 é de 130kWh e rende 700km de autonomia, oferecendo maior potência e alcance que a bateria de 100kWh da Tesla. A Faraday Future diz que a capacidade de recarga deste pacote é de 500 milhas por hora, ou algo como 805km de autonomia em apenas uma hora na tomada, obviamente em um carregador rápido, com capacidade de 200kW. A recarga completa, portanto, levaria menos de uma hora, considerando a autonomia máxima de 700km. O problema é que não há muitos carregadores tão fortes. Os Superchargers, da Tesla, entregam 120kW.


A empresa terá de investir na construção destes supercarregadores. Enquanto eles não surgem, ela diz que, em uma tomada de 240V, o carro pode recuperar 50% de sua carga em 4,5 horas. No seu design, o 91 é uma mistura de crossover com espaço de minivan, tendo frente curta e dotada de projetores de LED para os fachos dos faróis, faróis de neblina, luzes diurnas e repetidores de direção. No diminuto capô, um sensor laser LIDAR do sistema de condução autônoma se eleva quando nesse perfil de direção. As colunas A são avançadas, enquanto as D são largas e bem inclinadas. Chama atenção o pequeno tamanho das portas traseiras, visto que os passageiros traseiros se sentam mais recuados, lembrando em parte o conceito da Lucid Motors. Na traseira, as lanternas de LED – assim como o conjunto ótico frontal – formam uma única peça. A Faraday ainda informa que o 91 conta com 13 radares para sua condução autônoma, bem como 10 câmeras de alta resolução, 12 sensores ultrassônicos e um radar laser LIDAR, no capô. O automóvel conta ainda com o sistema Driveless Valet, que faz com que o carro procure uma vaga sozinho ao apertar um botão, assim como sair da vaga sozinho e ir até onde o motorista está. A marca informa que deve produzir primeiramente cerca de 300 unidades, todas com preços a US$180.000 (estimados), com pré-venda dando sinal de US$5.000. A série especial de início de produção será chamada de Alliance Edition e a produção começa em 2018. A Faraday ainda confirmou que parte dos lucros devem ser doados para um fundo ambiental dos EUA.




Nenhum comentário:

Postar um comentário