sábado, novembro 19, 2016

Reestilizado há um ano, Peugeot 408 tentou dar a volta por cima, mas concorrência exige mais


Reestilizado há um ano, o Peugeot 408 recebeu novidades latinas para continuar vivo no mercado. Porém parecesse que a concorrência não queria apenas um face-lift para colocar o francês no páreo. Lançado em 2011 no país, o 408 nunca foi um sucesso de vendas apesar de todas as suas qualidades e, um mero face-lift não sanaria seus problemas e a Peugeot sabia disso. O problema é que o sedã médio já chegou ao mercado um tanto defasado. Irmão de projeto do 308, que chegou muito atrasado no Brasil, o sedã tinha aspecto de quem já teria sido lançado em meados de 2009, tanto que para alguns ele cansou rápido. Para reverter isso a Peugeot ofereceu o 408 nas versões Allure e Griffe, o novo 408 ganha novos faróis, nova grade dianteira, novo para-choque dianteiro e traseiro, novo layout dos faróis, novas rodas de liga leve de 17" polegadas. O sedã médio ainda ganha luzes diurnas de LEDs na dianteira enquanto a traseira ganha lanternas de LEDs. Internamente, a Peugeot diz que adotou um novo volante e melhores materiais para o acabamento. O quadro de instrumentos recebeu fundo branco e novo grafismo. O design ficou mais agradável que o do novo 308, mas o 408 ainda mostra um estilo defasado em relação aos principais concorrentes. Lançado em 2011, o 408 ganhou novidades para tentar sair da lanterna do segmento de Sedãs Médios. Atualmente ele é vendido apenas com motor 1.6 THP Flex, que se reflete num bom argumento de vendas, mas o preço é um calcanhar de aquiles para uma marca que está com sua imagem arranhada, principalmente no Pós-Venda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário