segunda-feira, novembro 21, 2016

Hyundai quer nova bateria para o elétrico Ioniq em 2018 que desenvolva 320km de autonomia


O Hyundai Ioniq chegou a mercado em meados de 2015 no Japão e em 2016 passou a ganhar maior visibilidade em mercados. Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, o hatch elétrico/híbrido deve ganhar um novo motor elétrico sendo fontes. Visto que a autonomia dos automóveis elétricos tem crescido nos últimos meses de maneira rápida, a Hyundai prepara para 2018 uma nova bateria, capaz de entregar 320km de autonomia. A montadora foi lenta ao desenvolver esta última opção, ainda mais se tratar de um segmento que evolui rapidamente, assim como o alcance das baterias de lítio. Diante disso, antes mesmo de chegar ao consumidor americano, por exemplo, o Hyundai Ioniq elétrico já chega quase “natimorto” com os atuais 200km. A manobra queima a imagem do produto logo de cara, pois quem comprar o primeiro lote, saberá que tem um mico nas mãos, exceto se a marca prover a devida atualização e, de quebra, sem custo. A sul-coreana reconhece que os atuais 200km não são suficientes para fazer viagens, por exemplo. Atualmente a Hyundai oferece os motores 1.6 16v GDi adaptado exclusivamente para os modelos híbridos da marca que gera 105cv e 15,0kgfm e por um elétrico de 43cv e 17,3kgfm. O resultado do uso combinado é a potência máxima de 141cv e torque de 27,0kgfm. A transmissão é automatizada de dupla embreagem e de 6 velocidades. As baterias são de polímero de lítio, mas a Hyundai não divulgou a autonomia do veículo no modo elétrico. O consumo médio do Ioniq é de 22,4km/l, com um coeficiente de 0,24Cx, no padrão coreano. Já quando é movido com 100% por baterias de íons de lítio, que oferecem autonomia de 200km, muito pouco para a atual realidade do segmento. Elas são fabricadas pela LG e tem 28kWh. Com esse motor ele desenvolve 117cv de potência e chega a velocidade máxima de 150km/h.


Nenhum comentário:

Postar um comentário