quarta-feira, novembro 16, 2016

Hyundai Ioniq é apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, mas sul-coreana não confirma lançamento


Assim como a Honda trouxe o Clarity FullCell, movido a células de combustível, a Hyundai trouxe o Ioniq no Brasil em duas versões: híbrida e movida 100% a energia. O hatch chega para competir com o Toyota Prius, tanto que ambos se equivalem no design externo. O Ioniq ainda chama atenção pelo acabamento com mesclas de plástico reciclado, madeira de reflorestamento, pó de pedra vulcânica, bancos e tapetes com fibras de cana-de-açúcar. O Ioniq mede 4,47 m de comprimento, 1,82 de largura, 1,45 de altura e 2,70 de entre-eixos. O design, apesar de um pouco diferente, faz jus a escola da Hyundai. A grade dianteira hexagonal, faróis afilados e a Escultura Fluída 2.0 espalhada pela carroceria se destacam. A grade dianteira se une aos faróis, sendo essa uma das poucas diferenças em relação aos demais modelos da Hyundai. Os faróis e as lanternas são de LEDs, além de ter LEDs diurnos na dianteira. Na lateral é possível notar solução semelhante à do Toyota, com a caída do teto direto na tampa do porta-malas, que assim como o japonês, é mais alta e tem uma divisão com dois vidros.


Feito sobre uma plataforma específica para automóveis ecológicos e para reduzir o peso do Ioniq a Hyundai usou aço de alta resistência combinado com o alumínio. No total o híbrido possui peso de 1.380kg. O motor é o 1.6 16v GDi adaptado exclusivamente para os modelos híbridos da marca que gera 105cv e 15,0kgfm e por um elétrico de 43cv e 17,3kgfm. O resultado do uso combinado é a potência máxima de 141cv e torque de 27,0kgfm. A transmissão é automatizada de dupla embreagem e de 6 velocidades. As baterias são de polímero de lítio, mas a Hyundai não divulgou a autonomia do veículo no modo elétrico. O consumo médio do Ioniq é de 22,4km/l, com um coeficiente de 0,24Cx, no padrão coreano. Já quando é movido com 100% por baterias de íons de lítio, que oferecem autonomia de 170km, muito pouco para a atual realidade do segmento. Elas são fabricadas pela LG e tem 28kWh. Com esse motor ele desenvolve 117cv de potência e chega a velocidade máxima de 150km/h. A Hyundai não confirma nem desmente que o Ioniq possa ser vendido no nosso mercado, mas as chances são poucas de vermos o hatch por aqui. Pode ser que nem o Clarity, citado no início: mostrar o potencial tecnológico da marca sul-coreana.


Nenhum comentário:

Postar um comentário